Skip to main content

10 casos aparente de combustão espontanânea

A combustão humana espontânea não é uma condição médica reconhecida. Apesar disso, o fenômeno intriga muitos cientistas que não têm conseguido explicar o que acontece nestes casos aparentes de pessoas que pegam fogo sozinhas, sem afetar nada ao seu redor.

A teoria mais dominante é chamada de “efeito pavio”. Essencialmente, o corpo, particularmente a gordura, atua como combustível para as chamas misteriosas. No entanto, alguns pesquisadores argumentam que essa explicação simplesmente não é suficiente, dadas as temperaturas insanamente altas necessárias para reduzir um corpo a cinzas.

Reais ou não, confira 10 exemplos de casos aparentes de combustão humana espontânea:

 

Mulher pega fogo no meio da rua do Brasil.

Em um incidente que teria acontecido no dia 16 de dezembro de 2007, numerosas testemunhas, incluindo a polícia, viram uma jovem mulher pegar fogo em segundos no Brasil.

Seu rosto, braços e parte superior do tronco foram queimados a ponto de não reconhecimento, e ela sofreu queimaduras graves em sua perna direita. Curiosamente, sua roupa não pareceu ficar tão danificada quanto seu corpo, como se ela tivesse se incendiado “de dentro para fora”.



Alemã explode em chamas em banco de parque

Embora uma pessoa que estava de passagem tenha tentando abafar as chamas com sua jaqueta, uma mulher na Alemanha morreu depois de aparentemente explodir em chamas no meio de várias testemunhas num banco de parque, em novembro de 2015.

A mulher, de Flensburg, perto de Hamburgo, estava na casa dos quarenta anos e era bem conhecida localmente. De acordo com relatos de testemunhas, ela estava simplesmente sentada no banco antes de seu corpo ser de repente incendiado. Por ter ficado em silêncio, alguns sugeriram que ela havia cometido suicídio.

Houveram relatos iniciais de que dois homens foram vistos fugindo da cena, o que sugere que a mulher pode ter sido vítima de um ataque. No entanto, esta teoria foi rapidamente descartada, pois não havia qualquer sinal de crime nos restos da vítima, nem uma fonte para indicar de onde veio o fogo.

 

Homem dorme calmamente enquanto seu torso pega fogo

Em janeiro de 2016, apareceu um vídeo na internet que mostra um homem misterioso calmamente deitado na Sérvia, enquanto chamas queimam seu torso. Um espectador é ouvido aproximando-se do homem para ver se ele está bem. O comportamento da “vítima” é estranho, para se dizer o mínimo, já que ele simplesmente pede para deixá-lo em paz.

Felizmente para o próprio homem, ele pareceu sair do incidente em grande parte ileso. De acordo com comentários feitos nas redes sociais por pessoas que vivem na cidade sérvia de Novi Sad, onde o vídeo foi supostamente feito, o homem é conhecido localmente e já se envolveu em “comportamento problemático” no passado. Se ele usou algo para colocar seu próprio corpo em fogo ou se de fato foi vítima de combustão humana espontânea ninguém pode dizer, mas o vídeo em si parece ser autêntico.

 

Legista oficialmente conclui que homem irlandês morreu de combustão espontânea

Em setembro de 2011, nove meses após a morte de Michael Faherty, 76 anos, em dezembro de 2010, o legista Dr. Ciaran McLoughlin determinou que ele foi vítima de combustão humana espontânea. McLoughlin disse que, depois de investigar mortes por mais de um quarto de século, esta foi a primeira vez que chegou a tal conclusão.

O caso de Faherty deixou os investigadores completamente confusos, que rapidamente excluíram o uso de um acelerante ou o fogo da lareira de sua casa como a causa de seu incêndio. Além do mais, o fogo parecia ter sido contido apenas ao corpo da vítima, com o único outro dano encontrado sendo no piso e teto diretamente abaixo e acima dos seus restos mortais.

McLoughlin afirmou que não tinha chegado a sua decisão sem antes analisar muito o caso. Ele realizou uma extensa pesquisa sobre o assunto e disse que o exame do corpo, bem como a investigação do fogo, não deixaram nenhuma outra conclusão possível para a morte de Faherty.



O homem que morreu com chamas azuis saindo de seu estômago

O pesquisador Larry Arnold analisou numerosos casos aparentes de combustão humana espontânea. Talvez um dos mais estranhos, diz ele, seja o de Robert Bailey, um alcoólatra que foi descoberto queimando até a morte em um edifício abandonado no sul de Londres. Era setembro de 1967 quando encontraram Bailey pegando fogo e ligaram para a emergência. O comandante do Corpo de Bombeiros, John Stacey, afirmou a Arnold anos mais tarde que as chamas “vinham do próprio corpo” do alcoólatra e que parecia haver uma fenda no estômago do homem a partir da qual saíam chamas azuis.

Nenhuma outra parte do prédio havia sido incendiada, e só o corpo queimou, embora houvesse marcas no chão de madeira por conta do calor. Os bombeiros apagaram as chamas intensas, mas era tarde demais para salvar a vida do homem. Além da área do estômago e torso de Bailey, nenhuma outra parte de seu corpo ou sua roupa foram danificadas.

Bailey havia aparentemente mordido o corrimão da escada da propriedade, feito de mogno. Seus dentes estavam tão apertados sobre a madeira que um bombeiro teve que abrir suas mandíbulas para libertá-lo.

 

Homem é reduzido a pilha de cinzas em minutos no Havaí

Yoing Sik Kim viveu toda a sua vida de 78 anos em Honolulu, no Havaí, a maior parte dela paralisado da cintura para baixo em uma cadeira de rodas. Em dezembro de 1956, ele estava em casa quando, de repente, chamas começaram a emanar de seu estômago, se espalharam em todas as direções e o engoliram dentro de segundos.

Uma vizinha, Virginia Cadet, correu em seu auxílio e o encontrou cercado por chamas azuis. Ela ligou para os bombeiros, mas quando eles chegaram, cerca de 15 minutos depois, Sik Kim e sua cadeira de rodas eram nada mais do que uma pilha de cinzas. Tudo o que restava eram seus pés. Nenhuma outra área do cômodo sofreu qualquer dano, e o fogo simplesmente desapareceu depois de queimar o corpo do paralítico, em vez de se espalhar em outros lugares. Bombeiros e investigadores ficaram perplexos com isso, já que havia roupas e livros na proximidade que deveriam ter se incendiado também.

 

Homem sobrevive a dois casos de combustão espontânea

O veterano de guerra americano Frank Baker estava se preparando para embarcar em uma viagem de pesca com seu amigo, Pete Willey, quando de repente explodiu em chamas enquanto estava sentado em seu sofá, em junho de 1985. Willey conseguiu abafar o fogo, e Baker saiu em grande parte ileso, embora abalado. O homem foi ao hospital e seu médico lhe disse que parecia que ele tinha “queimado de dentro para fora”.

Baker apareceu no programa de TV “The Unexplained Files” para contar sua história. Ele afirmou que um segundo incidente ocorreu enquanto ele e Willey estavam pescando. Como já havia acontecido em sua casa, chamas começaram a percorrer o seu corpo do nada, aparentemente concentradas nos braços e no torso. Novamente com a ajuda de Willey, o fogo foi apagado.

Se o seu relato for verdadeiro, Baker pode ser uma das primeiras vítimas registradas de combustão humana espontânea que sobreviveram ao fenômeno.



Homem queima até a morte, mas casa de madeira fica intocada

Em 2013, quando o corpo incinerado de Danny Vanzandt foi descoberto por membros de sua família, todos estranharam o fato de que não havia danos em nenhuma outra parte da casa de madeira onde o senhor de 65 anos vivia em Muldrow, Oklahoma, nos EUA.

Vanzandt era um conhecido alcoólatra e fumante de cigarro, mas a evidência física na propriedade sugeriu que nenhuma das duas coisas foi a causa do incêndio, mesmo que indiretamente. Não só não havia outra parte da casa danificada, como também não havia sinais de crime. Vanzandt parecia ter simplesmente pego fogo sozinho.

O investigador da cena, Ron Lockhart, disse que acreditava que deveria ter havido alguma fonte de ignição que não pode ser identificada, mas a sugestão de combustão humana espontânea não pode ser oficialmente excluída.

 

Bebê pega fogo quatro vezes em três meses

Quando Rahul tinha três meses de idade, já tinha explodido em chamas quatro vezes, de acordo com relatos de 2013. A criança do sul da Índia sofreu com o fenômeno pela primeira vez quando tinha apenas nove dias de idade.

O Dr. R. Narayana Babu, que trabalhou no seu caso, afirmou que “gases combustíveis” lançados a partir dos poros do bebê poderiam ser responsáveis pela situação. O único conselho que foi oferecido aos seus pais foi manter qualquer coisa inflamável, incluindo certas roupas ou fraldas, longe do menino.

O Dr. Babu não podia ter certeza de que a “combustão” não aconteceria de novo, simplesmente afirmando que outro episódio “poderia ou não” ocorrer.

 

O mistério de Mary Reeser

O caso de Mary Reeser é talvez um dos mais famosos sobre o fenômeno de combustão humana espontânea, e também um dos mais debatidos até hoje.

O relatório do FBI afirma que a senhora de 67 anos de idade adormeceu enquanto fumava um cigarro em sua cadeira, grogue com remédios que tinha tomado, e acidentalmente pegou fogo queimando até a morte em julho de 1951, no estado americano da Flórida. O FBI sugeriu que a própria gordura corporal de Reeser tinha sido o combustível a partir da qual o fogo havia queimado tão intensamente.

No entanto, pesquisadores e escritores têm rejeitado esse relatório ao longo dos anos. Eles afirmam que o fato de que tudo o que restou de Reeser tenha sido um pé, um fragmento de crânio e um pedaço de sua coluna vertebral, bem como apenas as molas da cadeira, significa que o fogo queimou a uma temperatura tão grande que deveria ter havido danos em todo o prédio. Não só isso não aconteceu, como até mesmo uma pilha de jornais junto à cadeira de Reeser ficou completamente ilesa.

 


Comentários via Facebook

comentários

Bruno Lima

Estudante de Ciência da Computação. Desde de pequeno sou apaixonado pelo gênero do terror, por isso trago como missão para esse blog sempre estar trazendo conteúdos de qualidade, que faça com que o leitor sinta aquele frio na espinha. =D

Deixe sua opinião. Interaja conosco!