Skip to main content

7 modificações corporais de culturas ao redor do mundo que são bizarras

Os hábitos culturais de um povo definem seu jeito de agir, pensar e interagir com a sociedade e o ambiente ao seu redor. Além disso, é natural que vestimentas, adornos corporais ou estilo pessoal também sejam completamente definidos por valores gerados desses hábitos.

No caso de alguns povos específicos, os hábitos podem ser considerados estranhos ou bizarros para quem vem de culturas como a nossa, de uma linhagem ocidental com origens europeias. Para tribos que se apegam a raízes mais primitivas, alterar o corpo pode dizer muito sobre condição social ou papel dentro de um grupo.

Conheça alguns dos métodos de modificação corporal completamente comuns para certos povos que podem parecer chocantes para você.

 

Orelhas alargadas

É impossível dizer quais foram os primeiros povos a esticarem as próprias orelhas ou de onde surgiu o hábito. Mas hoje em dia, várias culturas praticam a arte de alargar os lóbulos, inclusive a nossa sociedade urbana contemporânea. O hábito pode ser motivado por religião, ritos de celebração, expulsão de demônios, adornos de decoração ou rituais sexuais.

 



Nariz alargados

A tribo Apatani, que vive num vale na região nordeste da Índia, precisou criar uma solução para fazer suas mulheres menos atraentes para a região. Isso porque elas eram consideradas as mais belas da área e acabavam atraindo invasões de rivais. A partir daí, elas passaram a colocar alargadores em seus narizes, criando uma tradição curta, que não foi passada para os jovens nascidos na geração seguinte.

 

Cicatrizes na face

Na tribo dos Dinka, no Sudão, meninos e meninas precisam passar por um ritual que parece extremamente doloroso. Um feiticeiro local pega uma faca quente e marca suas faces. O processo deixa cicatrizes permamentes que dão identidades aos homens e beleza singular para a as mulheres.

 



Dentes afiados

Na Ilha de Bali, os habitantes afiavam os dentes de forma artesanal como um ritual de amadurecimento para os adolescentes. A mesma tradição foi utilizada por tribos no Vietnã e no Sudão com intenções diferentes, associadas ao espiritualismo. Já na cultura maia, era comum que apenas os nobres e membros da alta classe mantivessem o hábito, para se diferenciar da população comum.

 

Cicatrizes pelo corpo

Por meio da marca de cicatrizes em todo o corpo, tribos de Papua-Nova Guiné marcam a iniciação de homens na cerimônia. Uma parte das cerimônias inclui humilhação pública e ações extremamente dolorosas. Anciões utilizam lâminas afiadas para fazer marcas no corpo dos jovens imitando padrões das peles de jacarés, que são vistos como símbolos de maturidade.

 



Bocas alargadas

Em algumas regiões da África, colocar pratos decorativos no lábio inferior também envolve a remoção de dois a quatro dentes da frente. O objeto pode servir para representar importância social ou econômica dentro do contexto social, de acordo com o tamanho do prato. Porém, por questões biológicas ligadas à pele, é natural que o estágio do alargamento também esteja ligado à idade.

 

Pescoços alongados

As mulheres Kayan do norte da Tailândia são conhecidas pelo estranho hábito de vestir anéis ao redor de seus pescoços, rendendo o apelido de mulheres girafa para forasteiros. As crianças começam a receber seus primeiros anéis por volta de 5 anos de idade e vão ganhando novos conjuntos ao longo da vida. Apesar da crença dizer que os anéis levantam a cabeça, na verdade seu efeito é contrário, abaixando a clavícula e apertando os ombros e as costelas, dando o efeito de pescoço alongado.

 

Pés pequenos

Na China, pés pequenos e delicados são desejáveis. Para manter a tradição, as jovens costumam quebrar manualmente os pés e cada um dos dedos e, em seguida, embalam os pés com bandagens bem apertadas. A aparência desejada é semelhante à da foto.

 

Bônus 

Algumas culturas como a Karamojong, do nordeste do Uganda, tem a prática do alongamento do pênis que faz parte de um ritual. Isto tem início na puberdade, um menino Karamojong pendura discos de pedras circulares a partir da ponta do seu pênis desde seus 7 anos de idade. Quando ele se torna acostumados com a dor, são acrescentados mais discos. Seu pênis fica por horas oscilando como um pêndulo com estes pesos pendurados. Durante a adolescência, ele poderá pendurar cerca 20 libras (44 kilogramas) em seu pênis, o que resultaria num tamanho aproximado 40 centímetros ou mais.


Comentários via Facebook

comentários

Bruno Lima

Estudante de Ciência da Computação. Desde de pequeno sou apaixonado pelo gênero do terror, por isso trago como missão para esse blog sempre estar trazendo conteúdos de qualidade, que faça com que o leitor sinta aquele frio na espinha. =D

Deixe sua opinião. Interaja conosco!