Skip to main content

A ordem dos Illuminatis #2 – Os Illuminatis de Baviera

A Illuminati de Weishaupt começou humildemente com apenas cinco membros, mas depois de alguns anos e com poderosas conexões, a Ordem tornou-se uma grande força política em todo o mundo. Decisores influentes, industriais ricos, nobres poderosos e ocultistas misteriosos entraram para a Ordem e compartilharam de seus objetivos conspiratórios. Alguns historiadores afirmam que a ascensão rápida da Ordem para o sucesso foi devido a um encontro secreto entre Weishaupt e uma figura misteriosa chamada Cagliostro, o ocultista mais poderoso da época.

“Em Ingolsstadt, acredita-se que Cagliostro conheceu Adam Weishaupt, professor de filosofia e direito canônico na universidade, e que em 1776 fundou a seita dos Illuminati. Chamando-se herdeiros dos Cavaleiros Templários, eles declararam seu interesse em utilizar a intervenção celestial alcançada por Cagliostro para a promoção de um programa de reforma religiosa mundial, mas de uma forma mais radical do que a de Cagliostro, comprometidos com a vingança da morte do Templário Grande Mestre Molay reduzindo a pó a tríplice coroa dos papas e eliminando o último dos reis Capeto”

Cagliostro proferiu, e descreveu em detalhes proféticos a decapitação de Luís XVI, um evento que dificilmente se poderia prever naquele tempo. ”

 

Estrutura da Illuminati

A Illuminati da Baviera foi originalmente composta por três graus iniciais: Novato, Minerval, e Iluminado Minerval. Cada grau foi concebido para atingir objetivos específicos, garantindo simultaneamente o controle completo e dominação para o ápice da pirâmide. Aqui está um breve resumo de cada grau.

 



Novato

Membros novatos da Illuminati da Baviera eram atraídos e introduzidos na Ordem usando um atraente vocabulário (a busca da sabedoria e aperfeiçoamento) e conhecimento oculto. Eles foram introduzidos no entanto em uma hierarquia altamente monitorada e controlada, um sistema que se assemelha ao dos jesuítas. Não eram no entanto mencionados os objetivos políticos da Ordem.

“Uma vez inscrito, a instrução de cada Novato era estar nas mãos de seu recrutador, que mantinha bem escondido de seu pupilo a identidade do resto de seus superiores. Os estatutos da ordem que ele era autorizado a ler imprimiam na mente do principiante que os fins particulares procurados eram para melhorar e aperfeiçoar seu caráter moral, expandir seus princípios de humanidade e sociabilidade, e solicitar o seu interesse nos louváveis objetivos de frustrar os planos dos maus, auxiliar a virtude oprimida e ajudar os homens de mérito a encontrar seus lugares adequados no mundo. Tendo o convencido da necessidade de manter sigilo inviolável a respeito dos assuntos da ordem, eram depois introduzidas as funções adicionais de subordinar seus pontos de vista e interesses egoístas, e de concordar com a obediência respeitosa e completa para com os seus superiores. Uma parte importante da responsabilidade do Novato consistia na elaboração de um relatório detalhado (para os arquivos da ordem), contendo informações completas a respeito de sua família e sua carreira pessoal, cobrindo itens interesses como: os títulos dos livros que possuía, os nomes de seus inimigos pessoais e a data da sua inimizade, seus próprios pontos fortes e fracos de caráter, as paixões dominantes de seus pais, os nomes de seus pais e amigos íntimos, etc. Relatórios mensais eram também necessários, cobrindo os benefícios que o recruta tinha recebido e os serviços que havia prestado para a ordem. Para a edificação da ordem o Novato deveria fazer a sua parte no trabalho de recrutamento, e o seu avanço pessoal para os graus mais elevados eram condicionados ao sucesso de tais esforços. Para aqueles a quem ele recrutou ele se tornava por sua vez um superior, e assim, depois de um período noviciado de dois anos de duração, o caminho estava aberto para sua promoção para o grau imediatamente superior.”

Quando um Novato provava a seus superiores ser digno de avanço, ele era iniciado no grau de Minerval.

 

Minerval

Selo Minerval dos Illuminati da Baviera. Estes pingentes, usado ao redor do pescoço dos iniciados Minervais, contava com a Coruja de Minerva. Também conhecido como o Coruja da Sabedoria, esse símbolo é encontrado ainda hoje em lugares poderosos: ao redor da Casa Branca, escondido na nota de dólar ou na insígnia do Bohemian Club.

O termo Minerval é derivado do Minerva, que era a deusa romana da poesia, da medicina, sabedoria, comércio, tecelagem, artesanato, magia e da música. Ela é muitas vezes representada com a sua criatura sagrada, uma coruja, que simboliza sua ligação com a sabedoria. Um símbolo antigo dos mistérios, Minerva é destaque em lugares como a Biblioteca do Congresso e o Grande Selo da Califórnia.

O segundo grau da Illuminati era um grau de doutrinação. Os iniciados eram doutrinados sobre os princípios espirituais da Ordem, mas tinham pouca informação sobre os verdadeiros objetivos de Weishaupt e seu círculo íntimo de administradores.

“A cerimônia de iniciação através no qual o Iniciante passava para o grau Minerval retirava da mente do candidato qualquer suspeita de que a ordem tinha como objetivo supremo a subjugação dos ricos e poderosos, ou a derrubada dos governos civis e eclesiásticos. Nela também o candidato jurava ser útil à humanidade, manter um silêncio eterno, uma fidelidade inviolável, e uma obediência implícita com respeito a todos os superiores e as regras da ordem; e a sacrificar todos os interesses pessoais pelos da sociedade.”

Minervals eram autorizados a conhecer alguns dos seus superiores (Iluminados Minervals) e se envolver em discussões com eles. Este privilégio sozinho era uma grande fonte de motivação para os novos iniciados.


Iluminado Minerval

Selecionados entre os Minervals, ao Iluminado Minerval eram dadas tarefas específicas a cumprir, a fim de prepará-los para tomar medidas no “mundo real”. A maior parte do trabalho consistia no estudo da humanidade e da perfeição de métodos para dirigi-la. A cada Iluminado Minerval era confiado um pequeno grupo de Minervals que eram examinados, analisados e conduzidos para direções específicas. Membros da Ordem de menor grau, portanto, tornavam-se objetos de teste para as técnicas que poderiam então ser aplicadas às massas em geral.

“Para o grau de Iluminado Minerval eram admitidos os Minervals que no julgamento de seus superiores eram dignos de avanço. Elaboradas cerimônias de iniciação fixavam na mente do candidato as noções de que a purificação progressiva de sua vida era esperada a medida em que ele prosseguia seu caminho na ordem, e que o domínio da arte de dirigir homens era para ser seu objetivo primordial enquanto ele permanecesse no novo grau. Para conseguir este último, ou seja, para se tornar um psicólogo perito e diretor de consciência dos homems, ele deveria observar e estudar constantemente as ações, propósitos, desejos, defeitos e virtudes do pequeno grupo de Minervals que foram colocados sob a sua orientação pessoal e cuidados. Para guiá-lo nesta difícil tarefa, uma complicada massa de instruções era fornecida a ele.

 Além de sua presença contínua nas assembleias dos Minervais, os membros deste grau se reuniam uma vez por mês entre eles, para ouvir relatos sobre os seus discípulos, para discutir métodos para conseguir os melhores resultados em seu trabalho de direção e para solicitar aos outros conselhos em casos difíceis e embaraçosos. Nessas reuniões os registros das assembléias dos Minervals eram revistos e corrigidos e depois transmitidas aos oficiais superiores da ordem.”
A partir desta estrutura básica, os Illuminati começaram a sua expansão. Estava tudo pronto para Weishaupt para alcançar um objetivo importante: a infiltração na Maçonaria.

Confira a parte 1 clicando aqui!


Comentários via Facebook

comentários

Bruno Lima

Estudante de Ciência da Computação. Desde de pequeno sou apaixonado pelo gênero do terror, por isso trago como missão para esse blog sempre estar trazendo conteúdos de qualidade, que faça com que o leitor sinta aquele frio na espinha. =D

Deixe sua opinião. Interaja conosco!