Skip to main content

Apocalipse robótico cada vez mais perto?

Se há uma coisa que o cinema nos ensinou é a não confiar em robôs. As sagas “Exterminador do Futuro” e “Matrix” estão aí para não nos deixar mentir. No entanto, o que fazer quando essas máquinas saem da ficção e começam a aparecer no mundo real? .Correr para as colinas? Preparar a resistência?. Seja lá qual for a sua resposta, é sempre bom conhecer quem pode ser seu próximo inimigo.

Apesar de elas ainda não terem feito nada de errado, eu não iria estranhar caso uma delas entrasse na casa de alguém para iniciar a Rebelião das Máquinas.

 

Big Dog

Apesar de ter sido construído para transporte de cargas, o Big Dog tem uma aparência completamente desengonçada e bizarra, o que faz com que a desconfiança nesse robô seja sempre constante. Você conseguiria ficar tranquilo ao lado disso?

Mesmo sendo muito útil, a máquina criada pela DARPA parece estar sempre pronta para atacar qualquer pessoa que se aproxime.

 Nível de periculosidade: 2



Ciborgues japoneses

Como alguém pode temer uma graciosidade dessas? Simples: esquecendo que ela é um robô. A perfeição desses manequins japoneses é tão grande que eles nem parecem ser feitos de metal e parafuso — ou seja, o disfarce perfeito para uma infiltração na sociedade e começar um ataque interno.

O pior é que é praticamente impossível diferenciar máquina e pessoa. No caso dessa “modelo”, ela foi equipada com uma inteligência artificial que permite a interação com seres humanos de maneira extremamente realista, incluindo expressões faciais. Disso para iniciar uma rebelião é um passo.

 
Nível de periculosidade: 3

 

Petman

Imagine a seguinte cena: você está dormindo na tranquilidade de sua casa quando ouve passos apressados nas escadas. Antes de se dar conta do que está acontecendo, vários robôs entram correndo em seu quarto e levam sua família como refém a um abrigo.

Parece absurdo? Então veja o que o Petman é capaz de fazer. Além de ter nome de vilão do Mega Man, o robô é praticamente uma réplica perfeita de um soldado: anda, corre, sobe escadas e faz até flexões. Basta alguém entregar uma arma para ele — ou incorporá-la à estrutura — para que o estrago esteja feito.

Nível de periculosidade: 5



Robokiyu

Quem precisa ter medo de um robô grande e lento como o Roboyuki, não é mesmo? Afinal, é bobagem se assustar com uma enorme peça metálica devorando pessoas no meio da rua.
 (Fonte da imagem: Reprodução/BuzzFeed)
Nível de periculosidade: 3
Desenvolvido por uma empresa japonesa para “coletar” pessoas em tragédias, o Roboyuki é o tipo de ideia que tem tudo para dar errado. Mesmo tendo sido construído com ótimas intenções, basta olhar a imagem acima para perceber que ele é uma péssima ideia.

 

Squishbots

Quem não se lembra dos pequenos robôs usados em “Matrix” para monitorar o personagem Neo? Apesar de ainda não existirem daquela maneira — para nossa alegria —, o primeiro passo já foi dado.

 (Fonte da imagem: Reprodução/Boston Dynamics)
Nível de periculosidade: 4

O Squishbot é uma pequena máquina desenvolvida para explorar pequenos espaços. Se a ideia é entrar em encanamentos, tubos de ventilação e outras áreas que as pessoas não alcançam, não iria me surpreender quando o primeiro caso de invasão em humanos aparecesse.



Sentinelas armados

Falamos várias vezes sobre os perigos de termos uma rebelião das máquinas, mas não apresentamos nenhum robô que realmente estivesse armado. Isso porque o mérito de perigo à humanidade está nas mãos dos Gun-Toting Sentry Bots.

Criado pela Coreia do Sul para proteger suas fronteiras, ele simplesmente monitora qualquer tipo de movimentação suspeita e tem total liberdade para abater qualquer invasor. Em outras palavras, temos um robô equipado com uma metralhadora que é capaz de localizar pessoas até mesmo escondidas.

Nível de periculosidade: mais de 9 mil

 


Comentários via Facebook

comentários

Bruno Lima

Estudante de Ciência da Computação. Desde de pequeno sou apaixonado pelo gênero do terror, por isso trago como missão para esse blog sempre estar trazendo conteúdos de qualidade, que faça com que o leitor sinta aquele frio na espinha. =D

Deixe sua opinião. Interaja conosco!