Skip to main content

Horror em Amityville – A história real

Por volta das 6:30, na noite de 13 de novembro de 1974, Ronald DeFeo Jr. se dirigiu até o Henry’s Bar, em Amityville, Long Island, Nova Iorque e declarou: “Você tem que me ajudar! Acho que minha mãe e meu pai foram baleados!”.

DeFeo e um pequeno grupo de pessoas foram para o endereço 112 Ocean Avenue, que foi localizado não muito longe do bar, e concluiu que os pais de DeFeo foram realmente mortos. Uma pessoa do grupo, Joe Yeswit, fez uma chamada de emergência para a polícia do condado de Suffolk, que procurou a casa e descobriu que seis membros de uma mesma família foram mortos em suas camas.

As vítimas eram o negociante de carro Ronald DeFeo, 43 anos, Louise DeFeo, 42 anos, e quatro de seus filhos: Dawn, 18 anos; Allison, 13 anos; Marc, 12 anos e John Mathew, 9 anos.

Todas as vítimas tinham sido baleadas com um rifle Marlin 336C, calibre .35 em cerca de três horas da madrugada daquele dia. Os pais DeFeo tinham sido baleados duas vezes, quando as crianças tinham sido mortas com um tiro apenas. A família DeFeo ocupava o endereço 112 Ocean Avenue desde que o compraram em 1965.
Ronald DeFeo Jr. era o filho mais velho da família, e também era conhecido como “Butch”. Ele foi levado para a delegacia local para sua própria proteção depois de sugerir a policiais na cena do crime que as mortes tinham sido realizados por uma máfia ligada à um homem chamado Louis Falini. No entanto, uma entrevista com DeFeo na delegacia, logo revelou inconsistências sérias na sua versão dos acontecimentos, e no dia seguinte, ele confessou a realização dos assassinatos. Ele disse aos detetives: “Quando eu comecei, eu simplesmente não conseguia parar. Passou tão rápido.” Leia Mais

Pareidolia: Explicação para muitos casos de assombrações

A pareidolia é um fenômeno psicológico que envolve um estímulo vago e aleatório, geralmente uma imagem ou som, sendo percebido como algo distinto e com significado. É comum ver imagens que parecem ter significado em nuvens, montanhas, solos rochosos, florestas, líquidos, janelas embaçadas e outros tantos objetos e lugares. Ela também acontece com sons, sendo comum em músicas tocadas ao contrário, como se dissessem algo. A palavra pareidolia vem do grego para, que é junto de ou ao lado de, e eidolon, imagem, figura ou forma. Pareidolia é um tipo de apofenia.

Em situações simples e ordinárias, este fenômeno fornece explicações para muitas ilusões criadas pelo cérebro, por exemplo, discos voadores, monstros, fantasmas, mensagens gravadas ao contrário em músicas entre outros. O fenômeno psíquico, diante de uma figura com dados aleatórios, pode variar segundo o ângulo do observador. Para uma criança, por exemplo, uma figura notada talvez possua formas que tragam à lembrança animais de estimação, personagens de desenhos animados ou qualquer outra coisa condizente com a faixa etária de compreensão sobre coisas. Para uma pessoa com uma faixa etária superior, a mesma figura assume formas diferentes conforme a capacidade criativa de associação de formas. Leia Mais

A verdade sobre o fantasma do IML

O vídeo apareceu nas redes sociais no dia 13 de março de 2017 e rapidamente se tornou um dos assuntos mais comentados da web. Nele podemos ver um vigia de um local pouco iluminado indo em direção a uma porta de hidrante, que fica batendo repetidas vezes sozinha!

Quando o homem chega próximo do fenômeno, a porta para de bater e o mistério de que (ou quem) estava causando esse barulho não é revelado!

Será que essa seria a comprovação de um fenômeno poltergeist? Será que finalmente alguém conseguiu filmar a manifestação de um fantasma? Leia Mais