Skip to main content

Experimento russo de privação de sono

Essa creepypasta supostamente faz parte de um livro publicado em 1998, em russo, após as aberturas dos arquivos da KGB em 1995. O livro descrevia vários arquivos relacionado as operações secretas realizadas na época da antiga União Soviética. Logicamente, por se tratar de uma lenda urbana, nada disso pode ser confirmado, muito menos podemos dizer até que ponto essa narrativa é verdadeira ou se há algo de real nela. Em alguns fóruns a autoria do texto é atribuída a rodrigo31, colaborador de um site de fanfictions.
Todavia, outros afirmam que a data de entrada da história em alguns fóruns é anterior a data de entrada da história no site de fanfiction, o que leva ao prolongamento da discussão sobre a autoria e veracidade da obra.
O recorde registrado no Guiness Book para o maior tempo possível de privação de sono registrado é de 11 dias. Após este recorde ter sido registrado o Guiness retirou qualquer registro para não estimular outras pessoas a tentar algo semelhante. Segundo a maioria dos médicos, qualquer período de privação acima de cinco dias pode representar um perigo para a saúde.
Agora quanto a estória…

Existem teorias a respeito da relação sono-espiritualidade… algumas religiões atestam que a humanidade possui uma espécie de “centelha divina”. Um tipo de pré-disposição que permitiria ascender espiritualmente rumo a uma condição de existência superior. Algumas tradições sustentam que através da privação completa dos sentidos é possível acessar esse estado superior, divino. Essa estória parece se basear nessas teorias.

Leia Mais

Jack, o estripador

Jack, o Estripador foi o pseudônimo dado a um assassino em série que agiu no distrito de Whitechapel em Londres na segunda metade de 1888. O nome foi tirado de uma carta, enviada à Agência Central de Notícias de Londres por alguém que se dizia o criminoso.

Suas vítimas eram mulheres que ganhavam a vida como prostitutas. Duas delas tiveram a garganta cortada e o corpo mutilado. Teorias sugerem que, para não provocar barulho, as vítimas eram primeiro estranguladas, o que talvez explique a falta de sangue nos locais dos crimes. A remoção de órgãos internos de três vítimas levou oficiais da época a acreditarem que o assassino possuía conhecimentos anatômicos ou cirúrgicos. Leia Mais

Floresta Aokigahara no Japão

Aokigahara é aberta ao público, mas a partir de determinado ponto, devido à facilidade de que as pessoas acabem se perdendo, o acesso é restrito. E é por esse caminho que os suicidas costumam avançar, amarrando fitas pela trilha para que possam retornar no caso de que mudem



As estatísticas a respeito do número de suicídios variam bastante, no período anterior a 1988, ocorriam cerca de 30 suicídios a cada ano. Os números aumentaram desde então e já chegam, só em 2004, a 108 pessoas. Muitos atribuem o aumento desse número a divulgação feita sobre esse lugar. Geralmente a imprensa é aconselhada a não veicular nada sobre os lugares onde costuma-se ser frequentado por suicidas, pela simples razão de que a noticia sempre encoraja e atrai outros que passam por extremo sofrimento e também pensam em tirar a própria vida.

Mas a “maldição” da floresta não vem de hoje, muitos relatam que a floresta é palco de diversos casos sinistros ao longo da história japonesa. Conta-se que no século XVIII, devido a fome enfrentada pelo povo japonês, muitas famílias abandonavam os seus incapazes e debilitados na floresta com o intuito de mata-los, se livrando assim do fardo que eles representavam em tempos de escassez de alimentos. Muitos japoneses acreditam que as almas dos antigos mortos ainda assombram a floresta.

Devido ao alto índice de suicídios ocorridos dentro da floresta, as autoridades japonesas espalharam avisos por todas as rotas de entrada da floresta, na tentativa de provocar a reflexão nas pessoas que se sentem perdidas e procuram a floresta para por um fim na própria vida. Os avisos pedem para as pessoas que ali forem adentrar, que saiam do local e procurem alguma ajuda. Mas apesar das placas e dos avisos o número de suicídios continua bastante elevado e a cada ano mais e mais pessoas procuram a floresta sinistra com o objetivo macabro.

Nem todos que entram na floresta concluem seu objetivo. Existem diversas pessoas que adentram na floresta mas acabam, por alguma razão, desistindo de cometer o suicídio. No ano de 2010 cerca de 247 pessoas procuraram a floresta para se matarem, mas somente 57 acabaram concluindo seu objetivo inicial.

 



 



 

A seguir alguns videos sobre a reportagem que o R7 fez na floresta

 



Com a fama da floresta crescendo ela acabou virando filmes

Floresta dos Suicidas

Sinopse:
No filme Floresta Dos Suicidas, a floresta na base do Monte Fuji no Japão, sempre foi palco de vários suicídios. O local é formado por um labirinto de raízes, onde várias pessoas tiraram suas próprias vidas, ligando seu corpo aos ramos e seu espírito à vegetação rasteira. Maiko e alguns amigos da faculdade vão até a Floresta Dos Suicidas, tentar cumprir um ritual de Halloween mergulhado na tradição demoníaca que irá libertar a alma aprisionada de sua mãe. Filmando sua jornada entre as sombras, coisas estranhas começam a acontecer; murmúrios, aparições de fantasmas alertam que existem seres do mal que não os querem ali.

Floresta Maldita

Sinopse:

Sara tem uma irmã gêmea e está preocupada com o seu desaparecimento misterioso. O maior receio dela é que a irmã tenha ido para a floresta de Aokigahara, no Japão, mais conhecida como a floresta dos suicidas. Apesar de todos a alertarem para não ir, ela entra na floresta, repleta de horrores inexplicáveis, determinada a descobrir a verdade sobre o destino de sua irmã.

Fonte: Isso é Bizarro

 


Slender Man – O homem esguio

Imagine você numa noite agradável, sentado numa poltrona macia e segurando uma xícara de café bem quente, ao seu lado o rádio está ligado. Você relaxa. Está passando um programa onde os ouvintes ligam para contar seus problemas psicológicos. Você ouve, porquê tem cada situação que é muito engraçada. Quando de repente uma ouvinte assustada entra no ar e diz:

Leia Mais