Skip to main content

A história do Justiceiro da região leste da Grande São Paulo

Francisco Vital da Silva é  natural de Campo Alegre de Lourdes, no sertão da Bahia, onde tinha 17 irmãos, como muitos nordestinos, migrou para São Paulo  em 1973 em busca de melhores condições de vida. Junto com sua família, passou a viver em Itaim Paulista, na violenta zona leste de São Paulo. Trabalhando de pedreiro, Vital montou um bar, e o estabelecimento era constantemente assaltado e vandalizado por criminosos.

Foi transformado de pedreiro e comerciante em justiceiro. Tudo porque, após se alojar no Jardim Camargo Novo (na zona leste da capital paulista) e se tornar dono de um pequeno bar em 1982, ele viveu em 1984 o pior momento de sua vida.

“Nem bem abri o boteco, senti que a barra aqui era pesada. Os vagabundos bebiam fiado, não pagavam e, ainda por cima, queriam que eu guardasse maconha pra eles. Aí estourei e comecei a pôr nego pra fora a pontapés”, disse em entrevista ao “Notícias Populares”.

Leia Mais

Omayra Sánchez – A menina que não pode ser resgatada

Há mais de 30 anos, uma catástrofe destruiu parte de Armero, na Colômbia, deixando escombros e feridos por toda parte. Entretanto, apesar de que o vulcão “el león” tenha entrado em erupção e provocado uma avalanche de lava, escombros e pedras, o que mais chamou a atenção foi a agonia de uma garotinha chamada Omayra. Uma foto tirada da garota recorreu o mundo.

O vulcão Nevado del Ruíz não tinha entrado em atividade por mais de um século, e justo em 13 de novembro de 1985 decidiu liberar sua energia e arrasar com tudo a seu redor, incluindo o lugar onde Omayra vivia com sua família.

Quando surgiram boatos sobre a tragédia, os meios de comunicação chegaram ao lugar para informar sobre o estado das pessoas e as casas devastadas pela avalanche de lava e escombros. Mas, quem conseguiu tirar a foto mais impactante de todas foi o jornalista francês Frank Fournier, que tirou uma foto de Omayra presa na água com um olhar que fez o mundo todo estremecer.

Leia Mais

Skull and Bones

Skull and Bones é uma sociedade secreta estudantil dos Estados Unidos, fundada em 1832. Foi introduzida na Universidade Yale por William Huntington Russell e Alphonso Taft em 1833.

Entre 1831 e 1832, Russell estudou na Alemanha, onde supostamente teria sido iniciado em uma sociedade secreta alemã, a qual teria inspirado a criação da Skull and Bones. Tal hipótese foi confirmada durante obras realizadas no salão de convenções da Skull and Bones. A sociedade foi incorporada pela Russell Trust Association, em 1856. Em 1846, Russell tornou-se membro da assembléia do estado de Connecticut e, em 1862, foi nomeado general da guarda nacional.

Alphonso Taft tornou-se ministro da guerra em 1876, e depois Vice-general e embaixador dos Estados Unidos na Rússia, em 1884. Seu filho, William Howard Taft, tornou-se mais tarde magistrado e depois presidente dos Estados Unidos. Yale é a única universidade com sociedades secretas onde são admitidos somente seniores, quer dizer antigos alunos. As duas outras são Scroll and Key (“Chave e Pergaminho”) e Wolf’s Head (“Cabeça de lobo”).

Os candidatos são exclusivamente homens brancos, protestantes, e são originários habitualmente de famílias muito ricas. Frequentemente, seus pais já eram membros da ordem. No último ano de estudo, são denominados cavaleiros.

Leia Mais

Hospital Estadual de Taunton

Construído em 1854 na cidade de Taunton, Massachusetts, originalmente foi chamado de State Lunatic Hospital em Taunton. Embora os edifícios mais novos e mais modernos tenham sido eventualmente adicionados á parcelas de 154 hectares, o edifício original conhecido como Edifício Kirkbride, permaneceu em pé por mais de cento e cinquenta anos. Recentemente reconstruído e remodelado, este foi o edifício que a maioria dos fantasmas chamou de casa.

Leia Mais

8 arrepiantes histórias de canibalismo

Canibalismo é o ato em que uma pessoa come o corpo, ou partes, de outro indivíduo da mesma espécie. Essa prática é comum durante rituais satânicos, quando indivíduos são sacrificados para um deus e os adeptos acabam comendo a pessoa porque acreditam que vão receber a força e o seu poder.

Os canibais mais conhecidos foram os astecas, que sacrificavam e comiam guerreiros de outras tribos. Atualmente essa prática é crime sob a condenação de mutilação e profanação de cadáver. Porém, esse ato continua sendo feito por muitas pessoas em todo mundo. Confira abaixo 8 histórias horripilantes sobre canibais

Leia Mais

Teorias da conspiração absurdas, mas que se mostraram reais

Todo mundo gosta de uma teoria da conspiração. Elas são misteriosas, dão a sensação de que algo muito perigoso e muito secreto está acontecendo em todos os lugares. Tira da vida o acaso, substituindo-o por uma trama complexa de acontecimentos programados. O problema é que a maioria das teorias ficam aí, na teoria. Ninguém prova, quem tenta provar costuma ser tachado de louco (ou bobo) e ficamos por aí mesmo. Mas e as conspirações comprovadas? Elas existem e deixam uma sensação dúbia: ao mesmo tempo em que é legal ver que a realidade tem dessas coisas, é estarrecedor constatar que por trás do mistério quase sempre repousa uma história triste (e real) de covardia, exploração e sordidez.

Leia Mais