Skip to main content

Fórum de canibais na Deep Web

Na cidade alemã de Rotenburg, no ano de 2001, Armin Mewies conheceu um site interessante através de um grupo de amigos, que lhe disseram se tratar de um fórum de canibalismo. Ele levou isso a sério e pensando que realmente fosse verdade publicou um anúncio, no The Cannibal Café Forum:

(simulação)

Eu procuro um rapaz entre 18 e 25 anos.

Que tenha um corpo normal, eu quero massacrar você e comer sua carne excitado.

Cerca de 200 pessoas, por própria estimativa Meiwes, entraram em contato após seu anúncio e ofereceram seus corpos. Muitos dos homens que entraram em contato aceitando a fantasia de canibalismo desistiram da ideia ao saber que era eles que enfrentariam a faca.

Em fevereiro do mesmo ano, Meiwes recebeu esta mensagem de Bernd Juergen Brandes, um engenheiro de computação de Berlim, que dizia:

“Tenho 36 anos, 175 cm de altura e peso 72 kg. Eu espero que você esteja realmente falando sério sobre isso, porque eu realmente quero.”

Meiwes e Brandes conversaram online por cerca de um mês, planejando todos os detalhes. Dia 8 de Março de 2001, um dia antes do ato os dois trocaram a última mensagem:

“Eu vou ser o seu café da manhã,” escreveu Brandes.

“E eu vou ter um ótimo apetite,  pode acreditar”, respondeu Meiwes.

 




Brandes e Meiwes

No dia 09 de março de 2001 a vítima entrou voluntariamente na “sala de abate”, à prova de som,  que Meiwes havia projetado em sua mansão. Naquela noite eles se sentaram em um sofá e conversaram, beberam café, fumaram e riram da situação. Em determinado ponto, Brandes teve uma mudança de comportamento e pediu para que Meiwes o levasse de volta para a estação. Pouco antes de saírem da mansão, Meiwes pediu que Brandes não desistisse e sugeriu que ele tomasse uma grande dose de comprimidos para dormir e alguns aguardentes para que eles pudessem realizar a fantasia.

Após tomar os comprimidos, eles voltaram para o quarto. Por volta das 18:00, Brandes gritou: “Faça isso logo. Faça agora!”

Mansão do Meiwes onde aconteceu o ato macabro

Meiwes tinha preparado uma câmera de vídeo para gravar tudo. Eles começaram então com a mutilação do pênis. Brandes ainda estava acordado e queria provar a sua própria carne. Meiwes ao grelhar o órgão, no entanto, deixou muito difícil para comer. Então, Brandes pediu para tomar um banho e relaxar. Meiwes deixou sua vítima em imersão na banheira e foi para seu quarto para ler um livro. Tudo isso com a câmera ligada.

 




Fitas com os vídeos recolhidos pela policia

Na manhã seguinte Brandes ainda estava vivo, foi nesse momento que Meiwes cortou sua garganta e começou cortar o corpo em pedaços. Ele cortava, assava e descrevia o gosto como o de carne de porco, para acompanhar a refeição ele tomava vinho tinto. Após o “almoço” ele rotulou e congelou as sobras, em seguida, foi para o fórum em busca de uma nova vítima.

Alguns dias depois um amigo de Meiwes encontrou no fórum a discussão perturbadora,  imediatamente ele informou a polícia. Pouco tempo depois os policiais chegaram na mansão de Meiwes e encontraram de no freezer alguns sacos com os restos mortais de Brandes, Meiwes confessou na hora. Ele já havia consumido 45 kg de carne de Brandes, quase tudo frito com alho. Ao ser questionado ele disse a polícia: O filé tem um gosto muito bom.Um sabor muito parecido com o da carne de porco, um pouco mais amarga e mais forte.”

Como na época não existiam leis alemãs feitas para canibalismo, considerando esse ato como um crime, então as acusações contra Meiwes foram de: assassinato foram para fins de prazer sexual e perturbação dos mortos.

Sua defesa, no entanto, alega que não houve crime uma vez que a vítima pediu para Meiwes para ser comido. O vídeo gravado mostra Brandes conversando e dando o seu consentimento, até o momento em que ele perde a consciência.

No primeiro julgamento o juiz deu a pena de 9 anos, dizendo que não era assassinato, mas um caso de “duas pessoas psicologicamente doentes que haviam se encontrado”. Um novo julgamento em 2004, determinou prisão perpétua. Em 2007, o Daily Mail informou que ele se tornou o chefe do “Partido Verde” na prisão, um grupo de assassinos e pedófilos que falam sobre como fazer do mundo um lugar melhor. O Mail também observou que o canibal tornou-se vegetariano.

Muita gente pensa que esse fórum estava na Deep Web, mas na verdade isso aconteceu em um fórum comum aqui da surface. Meiwes e Brandes pensaram que fosse um fórum de canibalismo, mas na realidade era apenas um local para debates com um nome diferente.

Vejam dois fóruns com o mesmo nome na Deep Web:

 




Será que foram inspirados no caso? Atualmente existem inúmeros fóruns de canibalismo na Deep Web, inúmeras fotos e vídeos de torturas rolam no mundo underground, alguns parecem bem reais e outros tem muitos efeitos especiais, não se pode acreditar em todo, mas também quem tem coragem de duvidar e colocar seu corpo a disposição de um canibal na Deep Web, não é mesmo?


Comentários via Facebook

comentários

Bruno Lima

Estudante de Ciência da Computação. Desde de pequeno sou apaixonado pelo gênero do terror, por isso trago como missão para esse blog sempre estar trazendo conteúdos de qualidade, que faça com que o leitor sinta aquele frio na espinha. =D

Deixe sua opinião. Interaja conosco!